quarta-feira, 7 de novembro de 2012

 Pastor explica como e quando as orações são respondidas


A família que foi escolhida para receber João Batista era uma família temente a Deus. O próprio Lucas declara que Zacarias e Isabel viviam “irrepreensivelmente em todos os mandamentos e preceitos do Senhor” (v. 6). O anjo se aproxima de Zacarias e afirma que a oração dele foi respondida. Como deve ter sido difícil por alguns instantes para Zacarias compreender o que estava acontecendo. Durante anos ele pediu por um filho e agora, em sua velhice, Deus fala que atendera a sua oração.

Lucas 1:13-25
13 Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João.
14 E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento,
15 porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe.
16 E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus,
17 e irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos e os rebeldes, à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto.
18 Disse, então, Zacarias ao anjo: Como saberei isso? Pois eu já sou velho, e minha mulher, avançada em idade.
19 E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas.
20 Todavia ficarás mudo e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam, porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir.
21 E o povo estava esperando a Zacarias e maravilhava-se de que tanto se demorasse no templo.
22 E, saindo ele, não lhes podia falar; e entenderam que tivera alguma visão no templo. E falava por acenos e ficou mudo.
23 E sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para sua casa.
24 E, depois daqueles dias, Isabel, sua mulher, concebeu e, por cinco meses, se ocultou, dizendo:
25 Assim me fez o Senhor, nos dias em que atentou em mim, para destruir o meu opróbrio entre os homens.
Isto deve nos servir de exemplo para que possamos persistir em oração e saber que Deus sempre tem o melhor para nós mesmo quando não ocorre do nosso jeito. Com isto aprendemos algumas lições sobre uma oração respondida.
Duas perguntas podem ser feitas nesta situação para que possamos meditar:
a) Quando uma oração é respondida?
b) Quais os resultados de uma oração respondida?
 
Quando uma oração é respondida?
A primeira coisa que precisamos entender é saber identificar quando nossa oração é respondida. Não é muito fácil, pois nosso coração costuma ser imediatista e ansioso. Mas temos que ter em mente que toda oração de um filho de Deus é atendida. Nenhuma súplica dos verdadeiros filhos de Deus é deixada sem respostas. Mas precisamos compreender algumas coisas.

1. A oração é respondida no tempo de Deus (v. 13)Zacarias orava por um filho havia algum tempo. Como disse no sermão anterior, fico imaginando quantos escárnios e deboches que esse casal sofrera ao longo dos anos. Uma mulher que não conseguia engravidar era uma vergonha para a ela e para seu esposo. Muitos homens davam cartas de divórcio para suas companheiras porque não suportavam a humilhação.
 
Zacarias e Isabel eram pessoas que estavam sempre aos pés do Senhor e por isso não se deixavam abalar. Mas com certeza não perderam as esperanças de que um dia Deus iria honrá-los, nem que fosse na eternidade. Um fato interessante é que o anjo o cumprimenta de uma forma que mostra que ele nunca cessou de orar. Talvez em seu coração ele já nem mais esperava nada, mas ainda assim não deixava de orar para tirar a vergonha que passava.
 
Muitas vezes ficamos ansiosos e tristes quando não somos respondidos em nossas preces. Mas esta é de fato a primeira grande lição que devemos aprender: nossas orações são atendidas no tempo de Deus.
 
A Bíblia é cheia de exemplos deste tipo direta e indiretamente. Imagine quantos anos Abraão orou até ter sua oração respondida. Pense em quantas noites tristes José passou no cativeiro orando e pedindo a Deus que o livrasse. Pense no desespero que assolava o coração de Ana ao suplicar durante anos que Deus a concedesse o privilégio de ter um filho.
 
Meu amado e minha amada, Deus é dono de tudo, inclusive o tempo. Ele é que determina o tempo para todas as coisas debaixo do sol (Ec 3). Mas Ele sempre ouve a oração de seus filhos e atende conforme o tempo dEle, que nem sempre é o nosso tempo.
 
Não desanime e nem pense que Deus o abandonou, ou que Ele não olha para você. Zacarias e Isabel tinham tudo para pensar isto, mas ainda assim oravam diante de Deus e não ficaram tristes com o tempo que Deus estabelecera.

2. A oração é respondida quando está dentro da vontade de Deus (v. 14, 15)
Uma das coisas que mais fico triste é quando ouço a frase de efeito “A oração muda o coração de Deus”. Creio que quem criou esta frase não conhece o mesmo Deus que a Bíblia apresenta. Nada muda aquilo que Deus já determinou pela sua soberania. Nada muda o que Deus decretou em sua eterna e infinita sabedoria. Deus é dono de tudo e de todos. Toda e qualquer oração para ser atendida precisa e deve estar no centro da vontade de Deus.
 
Quando oramos por algo que está fora da vontade de Deus com certeza não seremos atendidos. Pode até ocorrer, como foi o caso do reino de Saul, que Deus permita que ocorra para nos dar uma lição, mas não quer dizer que ele respondeu, antes quer dizer que nos disciplinou.
 
Zacarias e Isabel foram escolhidos para trazerem ao mundo aquele que viria antes do Messias. Eles queriam um filho, Deus lhes deu um arauto Seu. Isto significa que era da vontade de Deus que aquele casal tivesse um filho, mas não um filho simplesmente, mas o maior daqueles que nascem de mulher.
Talvez você esteja orando por coisas que estão nitidamente fora da vontade de Deus. Muitos oram por namoros com pessoas que não têm um compromisso com Cristo, Deus não pode responder a este tipo de oração. Também existem aqueles que oram somente para ter e não para ser alguma coisa. Com certeza é uma oração que não será respondida.

Mas vale lembrar aqui que este casal estava aos pés do Senhor, e somente aos pés do Senhor podemos saber de sua vontade. Não é possível saber a vontade de Deus quando não se busca sua presença, nem se coloca diante de sua Palavra. Hoje meu amado e minha amada, comece um novo propósito em sua vida, mantenha-se aos pés do Senhor. Tome Zacarias e Isabel como exemplos para sua vida e deixe Deus fazer tudo conforme Sua vontade soberana.

Quais os resultados de uma oração respondida?Eis uma pergunta que poderíamos fazer uma lista que corre pelas páginas das Escrituras Sagradas, mas vou me contentar em listar aquilo que o texto lido nos mostra com muita clareza e propriedade.

1. A oração respondida traz alegria real (v. 14)A primeira coisa que ocorre no coração quando temos uma oração respondida é a alegria. Não uma alegria qualquer, mas a alegria que vem por saber que Deus está no controle de todas as coisas. A alegria de saber que Deus não nos deixa desamparados e que nunca irá nos abandonar.
Gabriel não está se referindo da alegria do nascimento de uma criança, ele já refere ao ministério frutífero que o filho de Zacarias e Isabel teria. O anjo do Senhor já está mostrando que João não traria apenas alegria ao coração dos pais, mas seria instrumento da alegria maior, a do arrependimento e do retorno a Deus.

Veremos em sermões posteriores que o ministério de João seria o ministério do arrependimento. Este é o primeiro passo de alguém que quer realmente se aproximar de Deus. É o primeiro passo para que possamos alcançar a verdadeira alegria.

Meu amado talvez você não esteja sentido alegria porque suas orações de fato não estão sendo respondidas, pois estão fora da vontade de Deus e não são feitas para glória dEle. Zacarias e Isabel oravam, mas queriam que tudo fosse para glória de Deus. A glória de Deus deve ser o alvo e a fonte de nossa alegria.

2. A oração respondida opera para a glória de Deus (v. 15, 16)Se olharmos o ministério de João Batista pela ótica de seus pais talvez não vejamos alegria alguma. João morreu muito novo. Provavelmente seus pais ainda viviam, apesar da idade deles quando João nasceu. Com trinta anos aproximadamente ele foi decapitado. Tudo isto fruto do ministério que o anjo disse que traria alegria. Todavia vale ressaltar mais uma vez que alegria aqui tem haver com o arrependimento que seria a base do ministério de João.

No verso 16 vemos que muitos de Israel ser converterão ao Senhor através deste ministério de arrependimento. Tudo é fruto de uma obra que é feita para a glória de Deus. Uma das coisas que devemos pensar antes de pedir alguma coisa em oração é o seguinte: o que estou pedindo será para glorificar a Deus? Creio que muitas orações não são atendidas porque não visam à glória de Deus.
Paulo afirma que qualquer coisa que fizermos deve ser para a glória de Deus (I Co 10:31). Se comer e beber deve ser para glória de Deus, quanto mais nossa oração.

Talvez sua oração esteja cheia de egoísmo ou você está pedindo coisas somente para sua glória ou satisfação pessoal. Talvez em seus pedidos haja somente interesses pessoais e os interesses do reino ficam em segundo plano. Nossa oração deve ser para glória de Deus e o fortalecimento de sua obra.

3. A oração respondida fortalece a obra do Senhor (v. 17)

Infelizmente estamos vendo uma banalização da oração. A oração quando feita dentro dos moldes aqui descritos além de levar alegria e glorificar a Deus, fortalece a obra do reino do Senhor. Uma oração respondida é um testemunho e um alento para a obra de Deus.

Orações que visam apenas interesses humanos não podem ser consideradas orações que fortalecem a obra. O que mais tenho ouvido no mundo são críticas contra grupos que usam oração como meio de fortalecer apenas a igreja e atender os anseios pessoais. O que vemos nas Escrituras é que tudo deve convergir para que a obra de Deus se concretize. No evangelho de João o escritor sacro afirma que todos os sinais que foram feitos visavam alcançar o coração das pessoas para que estas cressem (Jo 20:31).

Sua oração não pode ter como alvo fortalecer o seu bolso ou seu ego. Antes a verdadeira oração deve visar engrandecimento do evangelho de Cristo. Devemos orar cada vez mais para que Deus possa operar neste mundo através de nossas vidas. Devemos orar para que Deus possa nos fazer instrumentos da paz e do amor que emanam da cruz. 
 
***
Antonio Carlos Gonçalves Affonso é pastor da Segunda Igreja Batista em Cobilândia, em Vila Velha-ES e editor do blog Vida Plena em Deus. Formado pelo Seminário Bíblico de Vitória (SEBIV). Foi professor de Teologia Sistemática (Escatologia, Cristologia, Pnemautologia, Doutrina do Homem e do Pecado). Palestrante para jovens e adolescentes. Ministra Palestras sobre violência na adolescência e nas escolas.

2 comentários:

Antonio Carlos Gonçalves Affonso disse...

Obrigado pela consideração Mikaella. Que Deus lhe fortaleça mais e mais para ser um instrumento na divulgação do verdadeiro evangelho.

Soli Deo Gloria.

Antonio Affonso

Antonio Silva disse...

.
Muito bom!!!

Parabéns, pastor!
.

Curta nossa página no Facebook